XVIII Congresso Abraves em Goiânia, atinge mais de 500 inscritos

XVIII Congresso Abraves em Goiânia, atinge mais de 500 inscritos

A dois meses do evento, o XVIII Congresso Abraves superou a marca de 500 inscritos confirmados. O atual momento de retomada da suinocultura, não apenas em relação ao preço do suíno pago ao produtor, como também os recentes anúncios de novos investimentos de empresas do setor impulsionaram a procura por inscrições e cotas de patrocínio, acredita o médico veterinário e membro da comissão organizadora do evento, Carmos Triacca. “A procura pelo evento já vinha crescendo nos últimos meses e tivemos um aumento significativo agora, em agosto”.

Consolidado pelo elevado nível técnico das palestras e palestrantes, o evento vai reunir alguns dos mais renomados pesquisadores da suinocultura mundial e profissionais de todos os elos da cadeia produtiva para debater o futuro da atividade, bem como os principais desafios e oportunidades do segmento nos próximos anos. O objetivo é promover um encontro entre a academia e os profissionais que trabalham no dia a dia do campo para uma troca de informações e antecipar tendências e necessidades de cada lado, afirma Triacca.

Para esta edição, a expectativa dos organizadores é que o evento siga a linha de retomada do espírito abraveano, que levou ao sucesso das edições anteriores com maior união e integração entre seus associados. Com uma projeção de cerca de 1 000 participantes, o público deve reunir médicos veterinários, zootecnistas, pesquisadores, empresários, produtores independentes, profissionais da agroindústria e representantes das mais importantes empresas da cadeia produtiva. Outras informações sobre o XVIII Congresso Abraves, que vai acontecer de 17 a 19 de outubro, em Goiânia, Goiás, estão disponíveis no site do evento (www.abraves2017.com.br), através do telefone (62) 3241.3939 ou do e-mail abraves2017@gmail.com.

PROGRAMAÇÃO

Entre os temas dessa edição estão o bem-estar animal – abordando além da gestação coletiva, saúde intestinal – discutindo conceitos de nutrição que interferem na saúde intestinal do animal e consequentemente em seu desempenho produtivo, uso de prebióticos e probióticos, uso de antimicrobianos e as alternativas para sua redução, e enfermidades emergentes e reemergentes. A coordenadora da Comissão Científica e professora da Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Lívia Mendonça Pascoal, explica quais foram os critérios adotados na seleção dos temas escolhidos. “Os temas selecionados para compor a programação científica do evento tratam de assuntos relevantes que estão sendo discutidos no Brasil e no mundo por serem de grande importância para a suinocultura atual e tendências para os próximos anos”. Um Painel sobre Bem-Estar Animal abre a programação na terça feira, dia 17 de outubro, vai debater resultados científicos de trabalhos brasileiros em gestação coletiva e individual, as principais diferenças de manejo em diferentes sistemas de gestação coletiva e a experiência brasileira na implantação da gestação coletiva: relatando o sucesso daqueles que já estão utilizando o sistema.

Na sequência, serão debatidas Boas práticas no manejo geral do leitão e vai abordar formas de evitar a castração, enriquecimento ambiental para suínos e o que é necessário no manejo com recém-nascidos. O conforto e desempenho em ambiência e climatização e os mecanismos de termorregulação, comportamentos e necessidades térmicas dos suínos e alternativas de climatização para granjas brasileiras dão continuidade. O impacto produtivo e econômico da climatização de granjas e cases de sucesso também são tema da mesa redonda ao final. O segundo Painel, que será simultâneo ao de Bem-estar, vai destacar saúde intestinal e um profundo estudo para entender a fisiologia e imunologia intestinal como base para a eficiência alimentar. Logo depois haverá uma apresentação sobre nutrição como ferramenta na modulação da saúde intestinal e fatores anti-nutricionais que podem influenciar negativamente o desempenho dos animais: inimigos ocultos. O painel encerra com perguntas e debates entre palestrantes e congressistas. O evento vai discutir doenças entéricas e como análises laboratoriais podem contribuir com ações no campo, além do papel de produtos como probióticos, prebióticos e acidificantes na prevenção e controle dessas enfermidades entéricas. Os debates também vão tratar da situação atual e perspectivas do uso de aditivos promotores de crescimento mostrando a visão da agroindústria e do MAPA sobre o tema.

O painel encerra com uma abordagem sobre a situação atual e perspectivas do uso de aditivos promotores de crescimento na visão do MAPA. Esta programação foi elaborada com palestras que permitam aos profissionais receberem e discutirem informações para serem aplicadas no campo de forma imediata auxiliando na tomada de decisão do dia-a-dia, declarou a coordenadora e professora da UFG, Lívia Pascoal.

PALESTRAS MAGISTRAIS: APROFUNDANDO OS DEBATES

Na quarta-feira, dia 18 de outubro, as Palestras Magistrais vão destacar o uso de antimicrobianos na suinocultura em cenário de restrições e novas abordagens terapêuticas observando os cenários nacional e internacional. Os debates vão tratar ainda dos antimicrobianos como ferramentas para erradicação de patógenos em granjas suínas e a influência dos sistemas de produção na redução de desafios sanitários. A primeira manhã encerra com uma palestra sobre “Estratégias nutricionais no auxílio da redução do uso de antimicrobianos – Case EMBRAPA”.
Dentro do tema Sanidade, o foco serão as doenças emergentes e reemergentes que vai falar sobre “Salmonella cholerasuis: um novo desafio para a suinocultura brasileira”, “Situação atual da circovirose no Brasil” e “Dinâmica de infecção das doenças respiratórias após a entrada da Influenza no Brasil”. Na sequência, será abordada a “Utilização de amostras populacionais para monitoramento sanitário e diagnóstico precoce de enfermidades” e “Programas vacinais: falhas nas estratégias e nos procedimentos”.

Entre os temas magistrais será debatido ainda Gestão, Manejo e Bem-Estar com palestras sobre “Gestão da qualidade dos insumos correlacionada com a lucratividade na suinocultura”, “Ambiência: novas tecnologias agregando ganho em todas as fases de produção” e “Indicadores de BEA”. O tema “Fertirrigação de dejeto suíno: novos conceitos, desafios e oportunidades” encerra a grade antes do espaço para perguntas e debates.

FECHANDO A PROGRAMAÇÃO

Na quinta-feira, dia 19 de outubro, as palestras iniciam com debates sobre perspectivas macro, com temas como “Brasil frente ao cenário internacional de doenças emergentes: Como nos protegemos? Quais as oportunidades?”; “Gestão da produção baseada em modelagem matemática” e “Nutrição de precisão para suínos em fase de crescimento e terminação”. Na sequência, dentro da área de Nutrição, serão discutidos “Epigenética e nutrição: preparando a nutrição da matriz com vistas a melhorar o desempenho da sua prole”; “Matriz nutricional de enzimas exógenas: uma nova abordagem”, além de “Prevalência das micotoxinas no Brasil e impacto sobre a produção” e “Influência da nutrição na imunidade e saúde do leitão de creche”.
O tema Reprodução e Genética encerram o XVIII Congresso Abraves com palestras sobre “Taxa de descarte, mortalidade de matrizes e melhoramento Genético de linhas fêmeas: como as empresas de melhoramento genético estão pensando a fêmea do futuro”, “Estratégias nutricionais pós cobertura visando redução de leitões baixa viabilidade”, “Situação da IATF e genética líquida na Europa” e “Desafios para tornar a IATF acessível em larga escala no Brasil”.

APOIO

O principal encontro da suinocultura no Brasil já tem o apoio das principais empresas do setor, como o patrocínio Ouro da MSD, o patrocínio Prata da Big Dutchman, Crystal Spring e De Heus, além do patrocínio Bronze das empresas Agroceres Multimix, APC, Biomin, Boehringer Ingelheim, Ceva, Evance, Farmabase, Huvepharma, InfoporcBrasil, NutriQuest TechnoFeed, Sauvet, Tecnomerc, TopGen, Vansil e Vetoquinol e como Outros Patrocinadores das empresas Bretanha, Choice Genetics, Kemin, M.Cassab, Nutriad e Zinpro.

O XVIII Congresso Abraves tem o apoio institucional da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Associação Goiana de Suinocultores (AGS), Associação dos Granjeiros Integrados do Estado de Goiás (AGIGO), CRMV-GO, Embrapa Suínos e Aves, Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e FUNDEPEC/GOIÁS. Entre as mídias parceiras de divulgação do evento, estão o site PorkWorld e a Revista Pork.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Portal PorkWorld

0