UM NOVO OLHAR SOBRE A CARNE SUÍNA

Em 1994, a ABCS contratou a empresa Francisco Rojo Marketing de Alimentos, de São Paulo, para identificar, através de pesquisas, os principais gargalos da comercialização da carne suína no Brasil. O trabalho foi confirmado dez anos depois, em 2004. Ficou claro, nas duas oportunidades, que as principais restrições ao incremento do consumo da carne suína no Brasil são as seguintes:

  1. preconceito com relação ao impacto sobre a saúde do consumidor;
  2. cortes pouco práticos, na perspectiva do cliente;
  3. cortes volumosos, quase sempre associados a eventos festivos;
  4. apresentação inadequada nos pontos-de-venda, quase sempre associada à gordura;
  5. percepção de preço elevado.

Os resultados da pesquisa foram trabalhados pela ABCS nos últimos 12 meses. A análise criteriosa e aprofundada desses dados foi o ponto de partida para a estruturação de uma Política Nacional de Marketing para a Carne Suína. Estruturada em duas etapas bem distintas, a Política de Marketing da ABCS para a carne suína recebeu um lema sugestivo:

“UM NOVO OLHAR SOBRE A CARNE SUÍNA”

São as seguintes as etapas de implementação da política:

  • Primeira etapa – PREPARAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA
  • Segunda etapa – DIVULGAÇÃO DA PROPOSTA EM MÍDIAS DE MASSA

Está sendo realizada, desde já, a preparação da cadeia produtiva, aqui entendida de forma ampla, para incluir, inclusive, o varejo, que tem a responsabilidade de apresentar nosso produto ao consumidor final. Numa segunda etapa, vamos falar das qualidades do nosso produto para o grande público através da televisão, do rádio, dos jornais e das revistas – as mídias de massa. Claro que, antes de fazermos propaganda da carne suína, precisamos ter certeza de que nossos produtos chegam aos pontos-de-venda com qualidade, saudabilidade e no formato que os consumidores de hoje esperam. Quando os consumidores atenderem ao chamamento da mídia, é indispensável ter a certeza de que os produtos estarão nos pontos-de-venda em quantidade, diversidade e com preços adequados.