SNDS 2017 confirma sucesso de público e alto nível de conteúdo

SNDS 2017 confirma sucesso de público e alto nível de conteúdo

A 17ª edição do evento tratou de sanidade, mercado, marketing e liderança

O XVII Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (SNDS), realizado entre 28 e 30 de junho, em Atibaia (SP), confirmou o sucesso das edições anteriores com mais de 300 lideranças do setor, conteúdo de excelência, relacionamento e alinhamento de objetivos comuns.

A 17° edição do encontro bianual foi organizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) em parceria com a Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS), com apoio do Sebrae Nacional.

O SNDS foi palco de um debate de alto nível sobre as pressões para restrição ao uso de antibióticos, recebeu especialistas em política agrícola e mercado do agronegócio, expoentes do marketing e reconhecidos palestrantes sobre a formação de líderes e gestão empresarial.

Oreng defende reformas fiscal e da previdência na noite de abertura

O economista-chefe do Rabobank, Maurício Oreng, foi o responsável pela palestra magna e traçou um panorama sobre a economia global e um diagnóstico sobre a brasileira na abertura do XVII SNDS. Além de tratar de temas macroeconômicos, como os desempenhos das economias chinesa e estadunidense, ele analisou as perspectivas brasileiras.

Oreng expôs que, apesar do pior triênio da história entre 2014 e 2016, a economia dá sinais de reação, o que já é uma boa notícia. Entre os indicadores positivos, o déficit público era de 4,5% do PIB em 2015 e reduziu para cerca de 1% completados em abril de 2017, porém o investimento externo direto cobre mais de quatro vezes este percentual. A taxa Selic deve continuar caindo, possivelmente chegando a 8,5% ao final do ano.

Além disso, o PIB freou a retração (após acumular queda de 7,4% em 2015 e 2016) e tende à estabilidade em 2017. Já o dólar deve oscilar entre R$ 3,10 e R$ 3,25, dentro de um cenário de baixa inflação (com previsões inclusive de permanecer abaixo da meta). Por fim, o governo ainda tem reservas cambiais como fruto dos bons resultados da balança comercial obtidos nos últimos anos.

O palestrante afirmou que a economia não terá sustentação sem reformas fiscais, especialmente da previdência. “A incerteza política reduz a previsibilidade, mas as reformas vão passar mais cedo ou mais tarde. Com elas, o Brasil pode crescer 2% ao ano em longo prazo”, concluiu.

PAINEL 1: SNDS aborda política agrícola e restrição de antibióticos no primeiro painel

Na manhã do dia 29, o Painel 1 com o tema “A adaptação da suinocultura frente aos desafios de uma nova era” trouxe as principiais tendências do setor para a plenária. O objetivo foi discutir as necessidades da produção brasileira, além de debater as estratégias, tornando o setor produtivo o grande protagonista das próximas transformações estruturais da cadeia.

O engenheiro agrônomo André Nassar abriu o Painel com o tema “Política agrícola e mercado de grãos: fatos, tendências e oportunidades”. Ex-secretário de Política Agrícola do MAPA e com ampla experiência na iniciativa privada, realizou a palestra relatando suas experiências à frente do ministério e as tendências para o mercado de grãos.

O médico veterinário Iuri Pinheiro Machado foi mediador do painel e abordou alguns dos desafios da suinocultura com a palestra “Produção de Suínos: à frente dos desafios de um mercado competitivo e globalizado”.

“Destaco cinco frentes como foco da atenção para o suinocultor que ainda não está atento de que os tempos são outros e a realidade do mercado e da sociedade mudou. Eles são a biosseguridade, a gestão do negócio, o crescimento do ativismo, bem-estar animal e a restrição ao uso de antimicrobianos”, pontuou o especialista que preside a Comissão Nacional de Aves e Suínos da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), Iuri Machado.

A Dra. Maria José Clavijo, professora e pesquisadora da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, apresentou os principais tópicos sobre o tema “Antibióticos: uma era de exigências e adaptações”, ainda no Painel 1.

“A sociedade desconfia que os produtores estão fazendo algo de errado, governos são influenciados pelos eleitores e o setor é exigido por isso. Não existe risco zero em nenhuma situação, com ou sem o uso de antibióticos. No entanto, o aumento da resistência aos antibióticos é uma realidade global. E, por isso, adaptar a produção a esta nova realidade e, até ganhar eficiência, é um caminho ao encontro com os consumidores”, defendeu.

Entidades apresentam posições sobre uso de antibióticos

Após a palestra sobre antibióticos, os participantes do SNDS acompanharam o debate sobre o uso de antimicrobianos com representantes do MAPA, ABPA, Sindirações, SINDAN e da ABCS. Nilo de Sá, diretor executivo da ABCS, apresentou a posição da entidade.

“Seja ciência, seja ativismo, é um assunto que temos que discutir pois está presente. O consumidor mudou e não busca apenas preço. A ABCS chamou a responsabilidade de discutir isso e construir a melhores condições para os produtores brasileiros. Não acreditamos em banimento, mas no uso prudente, respeitando-se as peculiaridades de cada produtor”, afirmou de Sá.

PAINEL 2: “Escolha + carne suína!” mobiliza XVII SNDS no Painel sobre marketing

Na tarde do dia 29, o painel 2 do XVII SNDS abordou o tema “O mercado em transformação: do campo à mesa”, com o qual indicou aos participantes as tendências do consumo para uma gestão de marketing mais competitiva com palestrantes de peso e uma ação de engajamento dos participantes.

O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, conduziu a ação do “Escolha + carne suína” e uniu todos os cerca de 300 presentes em uma saudação e no comprometimento de cada participante em mobilizar-se pelo setor.

No início do painel, a formação cultural foi apontada como um dos fatores mais determinantes para a escolha do consumidor no momento da compra. A professora da ESPM, Simone Terra, apresentou a lógica desta relação em sua palestra “Cultura e comportamento: um raio-x do consumidor”, durante o XVII SNDS.

“Ainda existem velhos preconceitos como a saudabilidade da carne suína, mas diversos estudos provam o contrário. Além disso, há o apelo de consumir um alimento saboroso, mas que cabe no bolso. Assim, precisamos trabalhar a imagem de que é fácil fazer, é saudável e que há muitas outras vantagens em nossas redes sociais e especialmente nos pontos de venda”, acrescentou Terra.

Referência no marketing do agronegócio brasileiro, José Luiz Tejon palestrou sobre a “Transformação no agro: uma nova abordagem de comunicação”.

Ele frisou a importância de definir um foco inteligente da carne suína, como a saúde, e mobilizar a emoção dos consumidores. “O marketing deve sempre trabalhar a emoção, uma síntese bem feita, foco inteligente, filmes bonitos e a colocação do bom humor. Temos muito conteúdo desconhecido pelo consumidor para envolvê-lo e conquistá-lo nas diversas plataformas”, explicou Tejon.

Para finalizar o segundo dia, o sócio-diretor da Ana Couto Branding, Leonardo Senra, palestrou sobre os resultados do marketing da carne suína nos últimos dois anos e como o conceito “Escolha + carne suína” pode desenvolver o potencial do setor.

“Tivemos consistentes resultados de mídia, em revistas, canais de televisão, mídias sociais e outros espaços. É assim que começamos a aumentar o impacto positivo da campanha, apresentando outras referências e alternativas sobre a carne suína para o consumidor final”, adiantou Senra.

PAINEL 3: ABCS encerra XVII SNDS com palestras sobre liderança e criatividade

O SNDS foi encerrado com o Painel 3 “O líder como agente transformador”, na manhã do dia 30.

Com palestras do historiador Leandro Karnal e do humorista Marcio Ballas, o painel apresentou um conjunto de aspectos essenciais para alcançar o sucesso no mundo corporativo, empreendedor, cercado por mudanças frequentes.

O filósofo Leandro Karnal, um dos pensadores mais admirados no Brasil, palestrou sobre “A vida que merece ser vivida”, atitudes e a situação do país.

“Nosso cérebro opta sempre pelo prazer imediato, pelo mais fácil. Assim, o protagonismo exige esforços, ver além do horizonte e possuir racionalidade estratégica. Todos aqui ralaram muito, têm uma história de superação de sorte, azar, destino, carma, signo e vitimismos e assumiram o próprio protagonismo”, observou.

O humorista e campeão mundial de improviso, Marcio Ballas, realizou a palestra “O poder do sim!” no encerramento do SNDS. Ele abordou a temática da criatividade como uma ferramenta poderosa para solução de problemas em qualquer área de atividade.

O encontro foi finalizado com a presença do presidente da ABCS, Marcelo Lopes, e do presidente da APCS, Valdomiro Ferreira Júnior no palco, que aproveitou a oportunidade para homenagear os produtores do Estado.

Fonte: ABCS
0